terça-feira, outubro 17, 2006

Sobre outros lábios...


SOBRE OUTROS LÁBIOS

Eu crescia para o verão
para a água
antiquíssima da cal
crescia violento e nu.

Podiam ver-me crescer
rente ao vento
podiam ver-me em flor,
exasperado e puro.

À beira do silêncio,
eu crescia para o ardor
calcinado dos cardos
e da sede.

Morre-se agora
entre contínuas chuvas,
os lábios só lembrados
de um verão sobre outros lábios
EUGÉNIO DE ANDRADE
(1923-2005)
Poeta e escritor.
Nasceu na Póvoa da Atalaia, Concelho do Fundão.
Desde cedo se dedicou à poesia, alcançando grande notoriedade com livros como As Mãos e os Frutos (1948) e Os Amantes sem Dinheiro (1950). Para além da criação poética original, Eugénio de Andrade é ainda autor de traduções e recriações em português de obras de Safo, Mariana Alcoforado, Federico García Lorca, Yannis Ritsos, René Char, etc., além das várias antologias temáticas da poesia e da terra portuguesas. Apesar de avesso à vida pública, a importância da sua obra tem sido reconhecida através da atribuição de vários prémios e condecorações. Assim, foi-lhe atribuído pelo Governo português o grau de Grande Oficial da Ordem de Sant’Iago da Espada (1982) e a Grã-Cruz da Ordem de Mérito (1988). Também o Município do Porto quis distinguir o poeta, atribuindo-lhe a Medalha de Mérito (1985) e a Medalha de Honra (1989) da Cidade. É membro da Academia Mallarmé (Paris) e membro fundador da Academia Internacional Mihai Eminescu (Roménia). Foi agraciado com o Prémio Camões em 2001.
Algumas das suas obras são: As Palavras Interditas, Até Amanhã, Coração do Dia e Mar de Setembro.

16 Comments:

At 17/10/06 10:51, Blogger Miguel said...

Kalynka,

Grande Homenagem a um dos nossos grandes poetas ...!

Bjks da matilde

 
At 17/10/06 11:20, Blogger anamoris said...

Grande POETA!!!
Muito bem lembrado.
Beijos

 
At 17/10/06 11:31, Blogger maresia_mar said...

Que belissimo post e imagem.
Eu continuo ausente por motivos profissionais, apesar de não visitar os amigos como desejo, vocês estão no meu pensamento. Bjhs

 
At 17/10/06 14:15, Blogger Andreia do Flautim said...

Quando andava na escola não gostava de eugénio de andrade, mas agora já vejo os poemas dele com outros olhos.

 
At 17/10/06 16:41, Blogger sad angel said...

oi linda,quero pedir desculpas pela minha ausencia,mas ando mesmo no mundo da lua,um beijo...

 
At 17/10/06 17:45, Blogger Belzebu said...

Bonita homenagem a Eugénio de Andrade, um beirão portuense e um dos maiores poetas portugueses!

Saudações cá dos infernos!!!

 
At 17/10/06 17:48, Blogger DE PROPOSITO said...

Olá.
Obrigado pelas lindas palavras que me dirigiste.
Estive lendo o poema de Eugénio de Andrade, um poeta que conheço pouco.
Fica bem.
Manuel

 
At 17/10/06 18:47, Anonymous pequenita (quando o teu corpo e o meu) said...

"A tua beleza submerge-me, submerge o mais fundo de mim. E quando a tua beleza me queima, dissolvo-me como nunca, perante um homem,me dissolvera. De entre os homens eu era diferente, era eu própria, mas em ti vejo parte de mim que és tu. Sinto-te em mim. Sinto a minha própria voz tornar-se mais grave como se te tivesse bebido, como se cada parcela da nossa semelhança estivesse soldada pelo fogo e a fissura não fosse detectável"
Anaïs Nin
bacis by pequenita

 
At 17/10/06 19:04, Anonymous ferrus said...

É um dos "poderosos"!
Uma sensualidade e uma dureza quando tem que o ser...
Tenho algumas obras dele, felizmente.
Parabéns pela iniciativa!
Bjs

 
At 17/10/06 21:01, Anonymous papagueno said...

Já que estamos na maré dos grandes portugueses, este foi um deles e foi grande com G maiúsculo. Sempre adorei o Eugénio e a morte dele tocou-me um bocado. A foto está muito gira. Já agora passa pelo Bairro do Amor, deixei lá um desafio parecido com aquele do cinema.
http://bairrodoamor.blog-city.com/desfaio_msical.htm

 
At 17/10/06 21:30, Blogger Teresa Durães said...

Gosto muito de Eugénio de Andrade.
Um grande Poeta.
É sempre bom recordá-lo

Boa noite

 
At 17/10/06 21:40, Blogger vida de vidro said...

Eugénio de Andrade é sempre uma boa escolha. Um dos meus favoritos, sem dúvida! :)**

 
At 17/10/06 22:40, Blogger JotaCê Carranca said...

uma foto divinal num divinal poema

 
At 18/10/06 00:09, Blogger José Alberto Mostardinha said...

Olá Kalinka:

Eugénio... é poesia na sua forma mais pura.

Um beijo,

 
At 19/10/06 15:57, Blogger Pé de Salsa said...

Que linda e merecida homenagem ao nosso Eugénio de Andrade.

Os nossos poetas estão entre os melhores do mundo. Logo, há que os dar a conhecer.

Parabéns Kalinka.

Um abraço.

 
At 22/10/06 10:11, Blogger Patrícia Posse said...

Eugénio de Andrade é o autor de um dos meus poemas favoritos... "As Palavras" (ñ sei se conhece, por isso ouso deixá-lo aqui, para quem eventualmente ainda ñ o conheça ;)

São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.

Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem.

Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?

:)

 

Enviar um comentário

<< Home