terça-feira, março 06, 2007

Gabriel Garcia Marquez


García Márquez nasceu em 6 de março de 1928, em Aracataca (Colômbia).
Começou a estudar direito, mas logo trocou a universidade pelo jornalismo.
Em 1955, se tornou correspondente na Europa do jornal "El Espectador".
Em 1958, publicou seu primeiro livro de ficção, "Ninguém Escreve ao Coronel".
A atribuição do Prémio Nobel da Literatura a Gabriel García Marquez em 1982, representou não apenas a sua consagração internacional como também a de toda a literatura americana em língua castelhana, tendo estado na origem do reacender da polémica entre os defensores de Marquez e os incondicionáveis de Borges.

Publicado em 1967, "Cem Anos de Solidão" foi um sucesso imediato de crítica e de público. Quinze anos depois, García Márquez ganharia o Prêmio Nobel de Literatura. O romance conta a história da família Buendía, condenada a viver um século de solidão e a enfrentar, geração após geração, uma realidade difícil e truculenta, à beira da destruição.


Há uma grande polémica sobre uma carta que correu Mundo, há quem diga que foi Gabriel Garcia Marquez que a escreveu, nos momentos de agonia, antes de morrer... há quem diga que não. Seja como for, eu guardei a carta e dela retiro frases e pensamentos lindos:


Daria valor às coisas,não pelo o que valem, mas pelo que significam.
Dormiria pouco,sonharia mais, pois sei que a cada minuto que fechamos os olhos, perdemos sessenta segundos de luz.
Andaria quando os demais parassem, acordaria quando os outros dormem. Escutaria quando os outros falassem e gozaria um bom sorvete de chocolate.


Pintaria com um sonho de Van Gogh sobre estrelas um poema de Mário Benedetti e uma canção de Serrat seria a serenata que ofereceria à Lua. Regaria as rosas com minhas lágrimas para sentir a dor dos espinhos e o encarnado beijo de suas pétalas.
Deus meu, se eu tivesse um pedaço de vida!...

Não deixaria passar um só dia sem dizer às gentes- te amo, te amo. Convenceria cada mulher e cada homem que são os meus favoritos e viveria enamorado do amor. Aos homens, lhes provaria como estão enganados ao pensar que deixam de se apaixonar quando envelhecem, sem saber que envelhecem quando deixam de se apaixonar.

A uma criança,lhe daria asas,mas deixaria que aprendesse a voar sozinha. Aos velhos ensinaria que a morte não chega com a velhice, mas com o esquecimento.
Tantas coisas aprendí com vocês, os homens...

Aprendí que todo mundo quer viver no cimo da montanha,sem saber que a verdadeira felicidade está na forma de subir a escarpa.
Aprendí que quando um recém-nascido aperta com sua pequena mão pela primeira vez o dedo do pai, o tem prisioneiro para sempre.

Aprendí que um homem só tem o direito de olhar um outro de cima para baixo para ajudá-lo a levantar-se.
São tantas as coisas que pude aprender com vocês,mas,finalmente não poderão servir muito porque quando me olharem dentro dessa maleta,infelizmente estarei morrendo " GABRIEL GARCIA MARQUEZ

Etiquetas:

25 Comments:

At 7/3/07 00:29, Blogger david santos said...

Olá!
Belo, querida Kalinka! Um dos nossos a festejar o seu aniversário cá nos nossos cantos, parabéns.
Abraços e continua.

 
At 7/3/07 00:57, Blogger Maria said...

Belíssima e merecida homenagem a Gabriel García Marquez.
Já passaram mais de 30 anos desde que li, pela primeira vez, "Cem anos de solidão", que considero a sua obra máxima. É um livro a que volto sempre e a que sempre continuarei a voltar.
Parabéns ao Gabo.
Um beijo para ti

 
At 7/3/07 01:42, Blogger krystyna said...

Hi Kalinka!
I found about Gabriel Garcia Marquez:
Whether writing short stories, epic novels, or nonfiction, Gabo is above all a brilliant storyteller, and his writing is a tribute to both the power of the imagination and the mysteries of the human heart. In Gabo’s world, where flowers rain from the sky and dictators sell the very ocean, reality is subject to emotional truths as well as physical boundaries. It is a world of great beauty and great cruelty; a world where love brings both redemption and enslavement; and a world where the lines between objective reality and dreams are hopelessly blurred. It is a world very much like our own.
Best wishis to you!

 
At 7/3/07 02:12, Blogger Lâmina d'Água, Silêncio & Escriba said...

Sempre adorei o Gabico!!!

E um homem desses nem envelhece e muito menos, morre...

Beijos,
Cris

 
At 7/3/07 08:30, Blogger Papoila said...

Ola passei para agradecer a visita, ler-te e deixar-te um bjinho,
Papoila Sonhadora,

 
At 7/3/07 09:02, Blogger jawaa said...

Não sendo novo para mim, é sempre com prazer que releio estes escritos e prazer sinto que assim seja lembrado o seu autor.
Gabo não morreu...

 
At 7/3/07 09:17, Blogger Deepak Gopi said...

Hi kalinka :)
I have read few short stories ,love in time of Cholera & 100 years of Solitude.
Way back in 2000 Int Film fest of Kerala had organised a film festival and it featured films made from Markes stories and it showed 7 films.I am not sure whether it was in Portuguese or Spanish.
Thank you for the text :)

 
At 7/3/07 10:20, Blogger Reflexos da Alma said...

Olá Kalinka! Este texto supostamente do Gabo,é a verdadeira essência do "saber" disfrutar a Vida, infelizmente na maioria das vezes os Homens acordam para "Ela"no final do Caminho. A postagem desse texto (carta)é Sinal dos pigmentos da tua Alma. Um Grande Beijinho.Luis Sousa

 
At 7/3/07 10:56, Blogger Papoila said...

Olá Kalinka!
Guardo esse texto que recebi há uns tempos, que pode ou não ser de Gabo, mas que é repleto de saber... saber ser...saber estar...
Um hino à vida "vivida" com humanismo. Um hino ao que nos devia distinguir como espácie.
Bonita homengem a Gabriel Garcia Marques.
Beijos

 
At 7/3/07 11:18, Blogger sa.ra said...

Certas pessoas são eternas! superam o tempo, o espaço -são universais e intemporiais!

Viverão através das suas obras... mais do que longa, a sua vida é eterna...

este texto é lindíssimo! lindíssimo!

beijinho
Obrigada pela visita,
vou voltar!
dia muito feliz!

 
At 7/3/07 11:18, Blogger Fallen Angel said...

Com uma tradução melhor ou pior a carta foi escrita, efectivamente, por Don Gabriel... :-)

 
At 7/3/07 11:26, Blogger C.Gameiro said...

Olá Kalinka.

Passei para te ler
e deixei um Beijito...

 
At 7/3/07 12:53, Blogger Cusco said...

Junto-me na homenagem e nos parabéns a Gabo, talvez mesmo o meu escritor favorito e do qual eu já li a obra toda, todinha de ponta a ponta.
Parabéns a ambos.
Até breve
SE DEUS QUISER

 
At 7/3/07 13:30, Blogger augustoM said...

Adorei as frases da carta de Gabriel Garcia Marquez, ou de quem a escreveu, não importa, o importante é haver alguém que não considera o seu semelhante um inimigo, um competidor nesta vida onde tudo não passa de uma ilusão.
Um beijo. Augusto

 
At 7/3/07 16:32, Blogger Ricardo Rayol said...

Uma belo texto, não sou muito fã dele e essa suposta carta termina de um modo fantástico.

 
At 7/3/07 17:29, Blogger krystyna said...

Hi Kalinka!
I was very surprised that you found my Reiki blog. Thanks!
I put a gift for you in comment section on this blog:
http://reiki-kryst.blogspot.com/
(click for full -size image)

 
At 7/3/07 18:39, Blogger morffina said...

A morte empresta à vida todo o seu valor.

Abraço
MF

 
At 7/3/07 18:46, Blogger rouxinol de Bernardim said...

Garcia Marquez: um monumento de vera literatura...

Li os Cem Anos de Solidão e apreciei muito.

 
At 7/3/07 19:12, Blogger chapa said...

Longa vida a um dos maiores escritores vivos!

 
At 7/3/07 21:26, Blogger Conceição Bernardino said...

Olá,

Povo

Ò povo que trais sem saber
O corpo que cansada da luta não
Pode ver

Ò néscio que não tiveste
Quem a ti te ensinasse
A andar.

Ò triste que caminhas com os
Pés dos outros,
Sem saber no que estás a pisar!

Poema da autoria de LILIANA BARRETO do LIVRO POISEIS II

Desejo-te uma bela semana, na companhia deste belo poema que encantou os sentidos.

Beijinhos ConceiçãoB
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

 
At 7/3/07 22:46, Blogger bom dia isabel said...

Gabriel Garcia Marquez pertence ao grupo daqueles que se vão da " lei da morte libertando".
Um colosso! Uma das sete maravilhas no mundo da escrita.
Beijinhos

 
At 26/3/07 14:56, Blogger refugiovirtual said...

Olá kalinka,
descobri o teu blog através da anascorpio, dei uma vista de olhos e achei lindo, vou voltar mais vezes.
Qt ao Gabriel, quero dizer que também sou uma fã dele e de todos os livros lidos é impossivel escolher um.
Parabéns pela homenagem que aqui lhe fizes-te.
Espero que as coisas estejam a melhorar.
Até breve
Beijos de força, coragem e optimismo

 
At 28/3/07 15:49, Blogger Jacinta said...

Adoro a obra de G.G. Marquez e Cem anos de solidão é um dos livros que mais me marcou até hoje. É simplesmente extraordinário pelo estilo do autor, pela diferença que marca em relação a outros do mesmo género, pela genialidade da criação... amei.

 
At 9/7/09 03:39, Blogger Brenda de Oliveira said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 9/7/09 03:40, Blogger Brenda de Oliveira said...

Há, outra informação importante que esqueci, hehehe, ela foi escrita antes de Gabriel morrer...

 

Enviar um comentário

<< Home