domingo, agosto 14, 2005

E fico pensativa, olhando o vago!!!


Lágrimas ocultas

Se me ponho a cismar em outras eras

Em que ri e cantei, em que era querida,

Parece-me que foi noutras esferas,

Parece-me que foi numa outra vida...


E a minha triste boca dolorida,

Que dantes tinha o rir das primaveras,

Esbate as linhas graves e severas

E cai num abandono de esquecida!


E fico, pensativa, olhando o vago...

Toma a brandura plácida dum lago

O meu rosto de monja de marfim...


E as lágrimas que choro, branca e calma,

Ninguém as vê brotar dentro da alma!

Ninguém as vê cair dentro de mim!


(Florbela Espanca)

11 Comments:

At 14/8/05 10:49, Blogger snowshoe said...

Lindo! Lindo! Adoro a Florbela Espanca!
Beijo grande!

 
At 14/8/05 14:16, Blogger zahnn said...

Palavra após palavra,verdade atras de verdade,é simplesmente maravilhoso...

 
At 14/8/05 23:56, Blogger Ana said...

Florbela é excepcional. Foi através dela que aprendi a amar a poesia.
Obrigada por ma fazeres reler.
Um beijo.

 
At 15/8/05 15:47, Blogger SaltaPocinhas said...

UFF! Que alivio! Ainda bem que escrevi sobre o meu problema com os papéis, assim fiquei a saber que não sou nenhuma "ave rara", que há muita gente como eu, que guarda tudo.
Quanto ao poema, foi muito bem escolhido!

 
At 15/8/05 16:28, Blogger Kalinka said...

SNOWSHOE:
Que bom...fico feliz por teres muitos gostos idênticos aos meus.
Só que hás-de reparar que eu não agarro no 1º poema de quem quer k seja e o coloco aqui, tenho o prazer de o ler com muita atenção e se realmente tem a ver comigo, sim, escolho-o e cá está.
Ahhhh...e se este tem a ver comigo!
Beijokas e bóptimo feriado...eheh

 
At 15/8/05 16:31, Blogger Kalinka said...

Zahnn, é verdade!
Adorei-o precisamente por ser verdadeiro e simplesmente maravilhoso.
Obrigado pelas tuas palavras e pela visita.
Volta sempre que possas.
Tb fui hoje comentar no teu cantinho, continua, vais no bom caminho. Beijokas.

 
At 15/8/05 16:35, Blogger Kalinka said...

ANA:
Só te digo que já não sei através de quem aprendi a amar a poesia, já vem de há uns 30 anos e só sei k cada dia aprecio mais, pois agora através da net temos muito mais hipóteses de ler, ver e apaixonarmo-nos pelas belas poesias de sempre.
Não tens k agradecer, eu é k agradeço a tua visita.
Volta sempre!! 1 beijo.

 
At 15/8/05 16:44, Blogger Kalinka said...

Pois é...é mesmo um alívio saber que há mais pessoas como nós, não muitas, mas as que o são devem ter precisamente o mesmo problema.

Só somos «aves raras» para quem não entende nem aprecia...disso ñ escapamos, nem todos entendem!!!

Tenho sido muito injustamente incompreendida por causa disso, mas se é um dos meus prazeres não vou desistir jamais.
Obrigado pela apreciação do poema.
Beijokas.

 
At 16/8/05 13:32, Blogger Isabel-F. said...

As palavras de Florbela... são sempre espantosas....

Bjs

 
At 16/8/05 13:34, Anonymous Anónimo said...

Gosto muito da Florbela,e realmente as imagens falam por si ,reparei mas nao comentei pois kuando venho aki é á pressa e estou limitada aos 15 minutos do almoço etambem tenho visitado o site de V.Pery.Fiko feliz por ti pois vejo ke tens anadado animada,Bj

 
At 13/10/05 05:27, Anonymous angela said...

Realmente muito bonito. Fez-me lembrar de mim. Que tantas vezes me vejo pensativa, olhando o vago. Mas nao e tristeza. E saudade...

 

Enviar um comentário

<< Home