quarta-feira, julho 27, 2005

Des(equilíbrio)...

A minha memória enche-se de fotografias mal tiradas, desfocadas, desajustadas, sem a precisão da certeza.

Demasiado cobarde para apagar o passado, resta-me arrumá-lo dentro de mim.
Num lado a felicidade, nesta estante de sorrisos e beijos, azul pintada a emoções;
no outro, a tristeza de suspiros e lágrimas arrumada neste velho baú semi-fechado, semi-lamentado.

Vivo entre o querer passar pelas portas fechadas e o encontrar as chaves das portas abertas
.

6 Comments:

At 27/7/05 09:30, Blogger Isabel-F. said...

Oi Amiga...

Bom dia...

Devemos sempre abrir as portas novas e entrar....

As outras devem ficar para trás...

(é o que eu...rsss... tento fazer)

Bjs

 
At 27/7/05 13:22, Anonymous Anónimo said...

Identifikei me muito com esta mnsg.Parabens.Bj AA

 
At 27/7/05 18:15, Anonymous Anónimo said...

Olá

Somente dando uma pasada para dizer oi e desejar-lhe os melhores conseguem o meu espaço msn de uma viagem ou somente vadiar por ... e por favor não esqueça de assinar o guestbook. Você o Espaço é grande e você é um muito beatyful mulher.

Até próxima vez o meu amigo.
Luis Alberto

 
At 27/7/05 23:27, Blogger Dilbert said...

Oi Kalinka,
Lindo este texto... eu cá costumo apagar (ou tentar) tudo de mau do passado... tento guardar apenas o que é bom e em harmonia com o que vou encontrando de bom no presente.
Incertezas julgo que todos temos mas tenho algumas certezas a que dou bastante valor...
Uma boa noite para ti linda, beijinhos e inté já...

 
At 28/7/05 21:18, Blogger Kalinka said...

Obrigado a todos que vieram aqui estar um pouco comigo...

Isabel - acredito k talvez seja o k todos tentamos fazer, mas do tentar ao fazer ainda vai um grande bocado e nem sempre se consegue.

Prima - ainda bem k te identificaste com esta situação, pois eu também...como já me conheces há muitos anos.

Dilbert - tás como diz a Isabel, «tentas» mas nem sempre se consegue...certo???
O nosso subconsciente trabalha por nós também e nem tudo «ele permite apagar da memória», senão a vida seria um mar de rosas...sem espinhos.

Sim, eu vivo entre o querer passar pelas portas fechadas, cada vez k revejo os meus albúns de fotos, por lugares maravilhosos onde passei...e é muito bom mesmo!!!
e o encontrar as chaves das portas abertas...é tb o k tenho feito, para a frente é o caminho, ando sempre em busca de algo novo, p.e. outro emprego, longe dakelas caras mal humoradas...e, mais perto da minha casa...e, não desisto!
Beijokas a todos.

 
At 13/10/05 06:06, Anonymous angela said...

E o que eu tento fazer ha algum tempo. Mas para guardar o passado e preciso saber o que se esta a guardar. Eu tambem ja me senti assim, e por vezes ainda me sinto, mas temos mesmo de abrir as novas portas.

 

Enviar um comentário

<< Home